Quando descobri a meditação adorei uma frase Zen que ainda continua a ressoar na minha mente sempre que alguém diz que não tem tempo para meditar.

“Medita 20 minutos por dia. Se não tiveres 20 minutos para meditar, então medita durante 1 hora.”

Sempre que a volto a ler ou dizer, descubro mais verdade do seu significado.

E a verdade é que se não temos 20 minutos para estarmos com nós mesmos em qualidade, então a nossa vida precisa mesmo de uma pausa para repormos no ritmo certo.

É claro que todos temos 20 minutos para meditar e bem o sabemos, mas por vezes escolhemos fazer outras coisas como ver televisão, navegar no facebook ou notícias, pensar no dia de amanhã…

E assim a meditação parece ocupar muito tempo e esforço…

Aquilo que te quero garantir agora é que tens bastante tempo para meditar e é bastante fácil… tu já tens tudo o que precisas:

Poder de foco, a tua respiração e arte de contemplar.

O segredo é juntar tudo numa só intenção e ficares totalmente presente no momento.

Mesmo que te surjam pensamentos, podes levar a tua atenção para a visão de um mero observador dos mesmos.

Quando comecei a meditar e quando achava que tinha pouco tempo para o fazer, a minha solução era guardar 20 minutos por dia para a minha prática.

Normalmente, tinha dois momentos importantes.

De manhã logo após acordar, começando o dia revigorada e focada nas pequenas actividades como tomar banho, tomar o pequeno almoço e de noite 20 minutos antes de me deitar.

São dois momentos muito importantes, onde a corrente de pensamentos é mais intensa, cheia de stress e receios e por isso, é nesse momento que deves meditar.

Os resultados são mais calma, foco e sobretudo relaxamento.

Aconselho-te a experimentar 😉

Assim, se tens um dia super ocupado, mas ainda consegues ter 20 minutos para meditar, deixo-te 4 passos para começares a meditar.

Primeiro passo: Qual é a técnica de meditação que vais usar.

Existem muitas abordagens que podes usar para meditar, faz uma pequena pesquisa e descobre qual é a técnica que funciona contigo.

Algumas são mais fáceis como o mindfulness e outras serão mais desafiantes, mas virão com a prática.

Uma pequena dica,  podes procurar por mindfulness, mantras, meditação guiada, Yoga…

Depois de descobrires a técnica que te parece mais natural vem o próximo passo:

Segundo Passo: Onde tudo acontece.

Controlar os teus pensamentos durante a meditação pode ser desafiante, por isso quanto menos distracções, melhor.

Escolhe um local onde saibas que não vais ser interrompida por ninguém, pela vibração do telemóvel ou por um despertador. (Isso acontece quando temos uma agenda preenchida)

Durante a meditação deves “Desligar-te” do mundo exterior e aproveitares os benefícios ao máximo.

Terceiro passo: A meditação deve ser fácil e natural

No início, meditar pode parecer mais difícil do que parece. É verdade que é apenas focar a tua mente num único pensamento, mas é por isso que devemos meditar… por ser O grande desafio.

Mantém-te sempre serena e calma, se sentires que a tua mente começa a deambular, traz gentilmente a tua atenção novamente para o momento presente.

Quarto Passo: Medita!

Esse é o segredo para conquistar qualquer desafio, agir. Se a tua mente começa a criar razões para não meditares, como “Não tenho tempo agora” , “Preciso de esperar pelo momento certo”, então percebe que é exactamente por esses pensamentos que precisas de meditar 🙂

Agora que investiste cerca de 8 minutos neste artigo, aproveita agora os próximos 12 para meditar, sim?

Se achaste este artigo útil, partilha-o livremente com outras pessoas nas redes sociais. Motiva-nos a escrever mais!